Saturday, 04 de December de 2021

Energia renovável no Brasil e no mundo

energia renovável

Um dos maiores desafios do futuro do planeta é a geração de energia renovável de forma interessante e inteligente. Descubra mais a respeito!

Energia renovável é uma expressão que vai ficar cada vez mais conhecida e cada vez mais importante ao redor do planeta.

Problemas climáticos, o risco de colapso da economia do mundo no momento em que não houvesse mais petróleo. Por esse e outros motivos uma corrida por energia renovável, limpa e de qualidade começou.

O que acontece, porém, é que encontrar um tipo de energia que supra a demanda na escala que o mundo pós-moderno precisa não é exatamente uma tarefa fácil. Por isso mesmo os cientistas, governos e empresas que toparam esse desafio se desdobram para encontrar soluções e fazer com que elas sejam bem aceitas no mercado.

Vamos adentrar um pouco mais nesse universo de energias renováveis, te mostrar os principais tipos e tentar entender, com mais detalhes, quais as possibilidades desse mercado e qual o papel do Brasil no cenário mundial.

Como surgiu o conceito de energia renovável?

É importante que entendamos que o conceito de energia renovável e não renovável é relativamente novo. As preocupações com eletricidade, fontes de energia para indústria e outras atividades começaram a acontecer em definitivo no século XX, depois da segunda grande guerra.

O quanto o mundo se encontrava dependente do petróleo era motivo de preocupação e, a partir deste momento global, passou-se a buscar substitutos para ele, por diversas questões.

Nesse momento começam a surgir projetos de energia elétrica renovável, por exemplo, na busca de fontes de energia elétrica com raízes hidráulicas, por meio das hidrelétricas, a utilização de energia solar, eólica, das marés e tantas outras.

 Você vai perceber que essas fontes de partem sempre do mesmo pressuposto: não depender de combustíveis fósseis, que não são renováveis, para gerar energia.

Este tipo de questão gera discussões em diversos campos. Segundo pesquisas de ordem econômica, política, social e ecológica, as formas de consumo atuais vem gerando prejuízos para o meio ambiente que, se mantidos como estão, vão acabar danificando o planeta além do recuperável e arriscando nossa sobrevivência, assim como de tantas outras espécies.

Exatamente por isso a busca por fontes alternativas de energia renovável se tornaram, em alguns aspectos, quase uma nova corrida do ouro.

O Brasil vem fazendo sua parte nisso. Mesmo com a energia advinda das hidrelétricas sendo tradicionalmente a principal de obtenção de energia elétrica no país, existe muito potencial ainda a se explorar em termos de fontes alternativas de energia renovável, especialmente  em energia solar e eólica.

Além disso, as possibilidades iniciadas nos anos 70 graças ao programa pró-álcool, que incentivou a utilização de produção de combustíveis de origem vegetal, frutificam de forma muito interessante.

Como o Brasil vem se comportando a respeito das energias renováveis?

Como já começamos a ver, o Brasil explora de forma abrangente seu potencial hidráulico, com hidrelétricas gerando boa parte de nossa energia.

 Apesar de terem um impacto ambiental considerável, especialmente por causa da mudança de curso dos rios, necessária para a construção das usinas, a energia hidráulica obtida desta forma ainda pode ser considerada limpa e renovável em relação a outras fontes, onde o carvão é envolvido.

O grande porém da energia hidráulica é que ela está ligada diretamente ao regime de chuvas, e os processos de mudança climática mundial vem interferindo nos índices pluviométricos, a ponto de afetar, em um âmbito nacional, o desempenho destas usinas.

Neste sentido, os programas de incentivo à produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis e alternativas vem criando um impacto positivo para nossa matriz energética, embora a produção dessas fontes ainda não seja totalmente suficiente para suprir a demanda nacional. 

energias renováveis energia eólica parque eólico
A energia eólica é uma energia renovável que tem sido expandida no Brasil. Fonte da imagem: Veja

Sobre isso, você pode ler com mais detalhes em nossos artigos sobre energia eólica e energia solar. 

Um dado importante a ser considerado quando falamos em energias renováveis no Brasil é o fato de que, graças a um programa iniciado nos anos 70 do século passado, que visava dar uma alternativa para o uso do petróleo na frota de veículos brasileira, as pesquisas vêm frutificando de forma positiva e dando ao Brasil destaque estratégico em tecnologias que podem se tornar essenciais para o nosso futuro.

Estamos falando, é claro, do pro-álcool e de seus desdobramentos que não podem ser desprezados: o desenvolvimento do biodiesel e da biomassa.

Todos esses combustíveis, provenientes da agricultura e da extração de madeira, vem se tornando alternativas interessantes para a transição do uso exclusivo de combustíveis fósseis nos veículos para o uso de energias totalmente limpas.

Qual a importância econômica das energias renováveis no Brasil?

As energias renováveis vêm se tornando algo de suma importância para o desenvolvimento estratégico da economia do Brasil.

Isso porque a geração de energia limpa tem influenciado áreas simultâneas no Brasil, atingindo primeiramente o mercado de energia elétrica, conjuntamente ao mercado de cotas de carbono.

O protocolo de Kyoto definiu que os países desenvolvidos precisam diminuir suas emissões de gás carbônico, com metas bem claras que precisam ser atingidas e, para isso ocorrer, algumas vezes esses países recorrem a alternativas de saldo global por simplesmente não conseguirem atingir essas metas. 

Então, para ajudar esses países a manterem o esforço, e também para estimular outros países que não foram incluídos nas metas de redução, foi criado um mercado de cotas de carbono que, basicamente, permite que os países mais poluentes, “comprem” cotas de carbono ou colaborem com a disseminação de tecnologias limpas nos países não incluídos no protocolo. 

Segundo o determinado no protocolo de Kyoto, os países não “negativos” em relação à meta de emissão de carbono podem vender partes da sua “sobra”. 

Esses países têm o valor unitário de uma tonelada de carbono emitido, algumas vezes não chegando a esse volume de emissão.

Outra forma interessante de colaboração desenvolvida com protocolo de Kyoto são os projetos conjuntos que são uma forma dos países desenvolvidos poderem investir em energias limpas em países em desenvolvimento, em troca de obter os créditos em carbono que deixaram de ser emitidos em razão do uso das novas fontes de energia.

 O governo vai estimular a construção e a pesquisa a respeito de formas de melhorar os processos de obtenção de energia limpa e alternativa para conseguir mais créditos ou, ainda, para atrair investimentos internacionais.

O Brasil tem uma excelente oportunidade de crescer com a evolução desses mercados. E se associar isso a programas de preservação do meio ambiente, especialmente da Amazônia, podemos esperar por alternativas extremamente positivas para o mercado brasileiro de energias renováveis.

O que existe de tecnologia por trás das energias renováveis?

Como existem diversos tipos de energias renováveis, e algumas até já foram explicadas por aqui em artigos específicos (como energia solar e seus painéis fotovoltaicos e a energia eólica e seus aerogeradores), mas agora vamos focar um pouco mais em explicar a tecnologia por trás do biodiesel e da biomassa, que representam o avanço das primeiras tecnologias renováveis usadas no país.

A biomassa é, em resumo, uma replicação controlada e inteligente de um contexto que vem se tornando cada vez mais perigoso no Brasil: a queima de detritos vegetais.

energias renováveis biomassa
O ciclo da biomassa explicado. Fonte toda a matéria.

Acontece que, especialmente em lavouras, a utilização do fogo para limpeza de terrenos, para que uma nova safra possa ser cultivada, é comum. O que o conceito de biomassa faz é transformar estes refugos, ou pelo menos parte deles, em material interessante para as termelétricas.

Ou seja, com termelétricas atuando com biomassa ao invés de carvão mineral ou gás natural, além de termos uma diminuição considerável nas emissões de carbono( queima de material vegetal devolve ao ambiente apenas o carbono usado pela planta para crescer).

Partindo do pressuposto de que este material biológico seria queimado de qualquer forma, ser queimado em uma termelétrica, de forma controlada e com uma reversão dessa queima em energia elétrica, zerando os riscos de queimada e reaproveitamento de energia, já fazem dessa possibilidade algo mais interessante.

As termelétricas funcionam de forma extremamente similar à geração de energia eólica, e também às hidrelétricas. O que muda é que a turbina em questão depende da geração de calor, que pode vir de queima de combustível fóssil ou de biomassa. Com um reservatório de água acima recebendo esse calor, resulta em ebulição. Esse vapor faz girar a turbina e essa energia cinética é transformada em energia elétrica.

Já o biodiesel provém de uma situação totalmente diferente, pois se origina de um processo químico feito em uma mistura de álcool e gorduras.

Existem diversas formas de obter as gorduras necessárias, desde o reaproveitamento de óleo de cozinha até a utilização de esgoto e óleos essenciais novos. Fato é que o uso desse tipo de combustível vem aumentando ano a ano. As notícias a respeito do diesel de petróleo utilizado no Brasil atualmente já conta com 5% de biodiesel da mistura total. A intenção é que ele chegue a 20% da mistura total.

O interessante é que, ao contrário do que se dizia, o biodiesel não é tão poluente quanto o diesel de petróleo. Curiosamente, ele recebe o nome de biodiesel porque também foi criado pelo mesmo visionário que criou, com Ford, os primeiros motores à combustão interna.

 Rudolf Diesel  antes de se utilizar dos combustíveis de petróleo, chegou a fazer biodiesel com óleo de amendoim e álcool, criando o processo original desse composto.

Quais são os setores de profissões envolvidos na energia renovável?

A energia renovável no Brasil tem movimentando o mercado de forma extremamente interessante. Além dos mercados específicos, citados nos artigos sobre energia solar e energia eólica, existe também um mercado relacionado à biomassa e ao biodiesel.

Em se tratando do biodiesel, é interessante perceber que existe todo um mercado de reaproveitamento para a geração desse combustível, o que, além do combustível em si, é interessantíssimo para de redução de resíduos.

 Por exemplo, somos grandes produtores de carne. O setor animal produz como resíduo produtos de importância para a produção do biodiesel como o sebo, o que ajuda a manter o produto em um preço mais interessante e ainda evita a utilização de óleos vegetais que seriam mais caros do que um subproduto secundário que muitos frigoríficos acabam rejeitando.

Além disso, a indústria da cana-de-açúcar, historicamente, já ocupa um papel de protagonismo na economia brasileira, e também vê benefícios na implementação do biodiesel, visto que se torna, assim como no caso do etanol, o principal fornecedor do álcool necessário para sua produção.

Outros empreendimentos agrícolas, que poderiam ter menos resultados sem essa demanda por óleos vegetais, também acabam impactados positivamente.

Existe, ainda,  todo o trabalho e infraestrutura desenvolvido nas refinarias de biodiesel. Estamos falando de indústrias de beneficiamento que empregam uma quantidade considerável de pessoas e que acabam não podendo lidar tanto com a automatização de processos.

Isso sem abordar todas as possibilidades suplementares, como toda a criação de um mercado de reaproveitamento que, além do benefício econômico, traz benefício ecológico, nesse caso específico com menos óleo de cozinha sendo despejado em esgoto comum e poluindo os rios.

energias renováveis reciclagem biodiesel
Uma nova indústria de reciclagem pode ser desenvolvida para abastecer as refinarias de biodiesel. Fonte da imagem: estudo Kids

Outra consequência bem agradável do processo de criação de biodiesel é também a criação de glicerina, utilizada na produção de sabão e em alguns cosméticos.

Um aspecto interessante, agora das questões relacionadas à biomassa, envolve o fato de que diversos tipos de resíduos industriais e agrícolas podem ser reaproveitados pelas termelétricas.

Apesar de não serem tão comuns, as termelétricas de biomassa ainda são uma opção interessante como energia suplementar à nossa matriz energética em momentos de baixa nos rios.

E a exportação de biomassa também já se tornou um negócio rentável para diversas empresas, sendo que aqui passamos a falar da indústria madeireira, que também se aproveita do chamado cavaco de madeira para produzir celulose, além de usá-lo em aquecimento e geração de energia.

Como podemos notar, em todas as suas vertentes o mercado de energia renovável vem se tornando uma oportunidade para que o Brasil consiga alcançar novos mercados internacionalmente e se torne cada vez mais relevante no cenário mundial.

Quais as principais áreas de exploração de energias renováveis no Brasil?

Como é de se esperar, a energia renovável tem sido utilizada, por todo o Brasil, em diversas situações e possibilidades.

Como já detalhamos os mercados solar e eólico nos artigos com discussão focada nestas matrizes energéticas, vamos nos dedicar um pouco a entender onde as termelétricas atuam com mais intensidade.

O Rio de Janeiro detém cerca de 60% das termelétricas brasileiras. Isso se deve ao fato de ele estar próximo das refinarias e dos poços de petróleo e gás. Os gastos de transporte com matéria-prima facilitam a geração de energia suplementar.

biodiesel
O Biodiesel pode ser uma excelente oportunidade no mercado de transição par o Brasil. Fonte da imagem: governo federal

Em 2018, havia o total de 549 termelétricas explorando diversos tipos de biomassa. Uma tendência que pôde ser observada é a de a própria produtora da biomassa também começar a produzir a energia por meio de uma termelétrica. Isso pode ocorrer tanto para que a indústria tenha Independência energética quanto para a venda de energia em leilões que tendem a se tornar cada vez mais comuns devido às dificuldades que o sistema hidráulico vem enfrentando para atender a demanda, cada vez maior, de energia elétrica.

Quais as vantagens e desvantagens da utilização de energias renováveis?

Um ponto fundamental celebrado nas tecnologias de energias renováveis é que elas livram a sociedade desse vício por petróleo e apresentam alternativas para que a energia seja gerada de forma menos danosa ao planeta. 

Tanto em matéria de combustível quanto em geração de energia elétrica, as fontes de energia renovável são um avanço considerável no combate à destruição do planeta por efeito estufa, por exemplo.

Além de se utilizarem de detritos que não teriam outra forma de ser eliminados com tanta eficiência, ainda ajudam em situações como a crise do lixo mundial, diminuindo a exploração de mata natural para obtenção de madeira e outras questões relevantes.

Em resumo, ao transformar o lixo em fonte de energia, a energia térmica acaba cumprindo um papel importante para a diminuição do acúmulo de lixo no mundo, e consequentemente a preservação do meio ambiente.

Porém, como nada é perfeito, uma das maiores desvantagens das energias renováveis agora é que, por alguns aspectos elas podem ficar mais caras do que as energias de combustível fóssil. Isto se dá pelo fato de que essas tecnologias ainda estão em desenvolvimento, então agora elas podem ainda não compensar tanto, mas num futuro próximo elas provavelmente irão se tornar as mais interessantes.