Início Projeto de Lei apresentado visa desenvolver incentivos para introduzir o hidrogênio verde como parte da matriz energética nacional e expandir a produção dessa fonte renovável de energia

Projeto de Lei apresentado visa desenvolver incentivos para introduzir o hidrogênio verde como parte da matriz energética nacional e expandir a produção dessa fonte renovável de energia

março 31, 2022 às 1:55 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Fonte renovável de energia e grande aposta para o futuro do Brasil, o hidrogênio verde agora poderá se tornar parte regulamentada da matriz energética nacional e atrair novos investimentos para a produção com o novo projeto de lei apresentado
Fonte renovável de energia e grande aposta para o futuro do Brasil, o hidrogênio verde agora poderá se tornar parte regulamentada da matriz energética nacional e atrair novos investimentos para a produção com o novo projeto de lei apresentado. Fonte: iStock

Fonte renovável de energia e grande aposta para o futuro do Brasil, o hidrogênio verde agora poderá se tornar parte regulamentada da matriz energética nacional e atrair novos investimentos para a produção com o novo Projeto de Lei apresentado

O Senador Jean Paul Prates (PT-RN) apresentou nessa última segunda-feira, (28/03), em Brasília, um Projeto de Lei que tem como objetivo introduzir a regulamentação necessária para que o hidrogênio verde passe a ser parte obrigatória da matriz energética do país. Além disso, o projeto busca atrair mais investimentos para essa fonte renovável de energia e garantir mais expansão na produção dela.

Confira:

Senador Jean Paul Prates apresenta Projeto de Lei para regulamentar a entrada do hidrogênio verde de forma obrigatória na matriz energética do Brasil 

O hidrogênio verde é uma fonte renovável de energia e uma das maiores apostas para a descarbonização no processo de transição energética dentro do mercado mundial, uma vez que é produzido a partir do resgate do carbono contido em fontes fósseis e garante uma exploração mais sustentável desses recursos. Assim, o mercado brasileiro vem investindo cada vez mais nessa fonte renovável e buscando novas formas de expandir a utilização da substância no país. 

Com isso, o Senador Jean Paul Prates apresentou, em Brasília, o seu mais novo Projeto de Lei que tem como objetivo introduzir essa fonte renovável dentro da matriz energética brasileira e desenvolver o marco regulatório para a produção de hidrogênio verde no país, como forma de atrair novos investimentos e incentivos ao segmento. Além do incentivo à produção, o Projeto de Lei também estabelece metas para a inserção do hidrogênio nos gasodutos de transporte nacionais, como forma de integrar ainda mais essa fonte renovável dentro da matriz energética nacional. 

Assim, entre as metas estabelecidas, está o percentual mínimo de adição de 5% de hidrogênio na rede de gasodutos nacionais até 2032 e de 10% até 2050. Essa questão é de extrema importância para o mercado nacional, uma vez que a produção de petróleo e gás não deixarão de existir tão cedo no Brasil, mas podem ir, aos poucos, sendo substituídas por outras fontes renováveis de energia, como o hidrogênio verde e a biomassa, trazendo mais sustentabilidade para o território brasileiro nos próximos anos. 

Brasil já conta com empreendimentos para a produção de hidrogênio verde, mas Projeto de Lei apresentado irá expandir ainda mais os olhares para essa fonte renovável 

A produção de hidrogênio verde, apesar de ainda bastante desconhecida por muitos, já é realidade em diversos locais do Brasil, como por exemplo o Rio Grande do Norte e o Ceará, estados nos quais estão sendo desenvolvidos empreendimentos para a geração de energia a partir dessa fonte renovável. Assim, os incentivos para a atração de novos investimentos para esse segmento são cada vez mais necessários, uma vez que o hidrogênio verde poderá ser essencial para a transição energética no Brasil.

Dessa forma, o Senador Jean Paul Prates comentou sobre o Projeto de Lei e sobre a relevância de políticas de incentivo à produção de hidrogênio verde no território nacional, afirmando ainda que “É um projeto propositalmente simples mas altamente indutivo, em vez de interventivo; e que dá um norte importante para os empreendimentos que já se anunciam no Brasil para esta nova fonte bem como para as diversas tecnologias que a tornam viável”.

Além da produção usual do hidrogênio verde, o Brasil também tem condições de produzir hidrogênio a partir da extração do metano ou do CO2 do PréSal, o que torna o país ainda mais atraente para empreendimentos dentro desse segmento e faz cada vez mais necessária a aprovação de um Projeto de Lei como o do Senador Jean Paul Prates.

Relacionados
Mais recentes