Sunday, 24 de October de 2021

Nova usina de energia solar de 292 MW será construída no estado Mato Grosso do Sul

Usina – energia solar – Mato Grosso do Sul

A nova usina de energia solar será instalada na zona rural do município de Cassilândia, na divisa do Mato Grosso do Sul e Goiás

A Ambiental MS Pantanal – empresa que surgiu da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea, anunciou que o estado do Mato Grosso do Sul deve ganhar uma nova usina de energia solar em 2022, que será construída no município de Cassilândia, na divisa com Goiás, a cerca de 430 quilômetros de Campo Grande. O empreendimento terá capacidade de produção de 292 MWh/mês. Leia ainda esta notícia: Vivo projeta ampliar para 83 o número de usinas de energia pelo país

Detalhes sobre o empreendimento, no Mato Grosso do Sul

A nova usina de energia solar a ser instalada na zona rural de Cassilândia, no estado do Mato Grosso do Sul, terá capacidade de produção de 292 MWh/mês. Isso equivale a energia média consumida por cerca de 1.800 residências. O contrato para a construção foi assinado em junho deste ano e as obras devem ser iniciadas em outubro. Estima-se que a usina comece a operar em fevereiro do próximo ano.

De acordo com o diretor-presidente da MS Pantanal, Celso Paschoal, o investimento em recursos sustentáveis, como a usina de energia solar, é um dos princípios da empresa. “Através da PPP, podemos levar muito mais saúde à população do nosso Estado e nossa missão é fazer isso de maneira sustentável”, disse.

Leia ainda: AXS Energia irá investir R$ 1 bilhão em 60 usinas de energia solar fotovoltaica, em Minas Gerais

A AXS Energia, braço de geração distribuída da Araxá Solar, que desde 2011 atua no desenvolvimento do setor solar brasileiro, prevê investir até R$ 1 bilhão em Minas Gerais nos próximos três anos. Ao todo serão implantadas 60 usinas. Até o fim do ano serão cinco usinas em operação. A primeira, em São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas, já está em construção. Em agosto, serão iniciadas as obras de mais duas nos municípios de Passos e Prata.

De acordo com a empresa, Minas Gerais foi escolhida para o início das operações das usinas de energia solar por diversos fatores favoráveis, entre os quais condições climáticas e alto potencial de geração solar, possibilidades de oferecer propostas competitivas ao consumidor, legislação adequada e um mercado receptivo. A previsão é de gerar 150 empregos até o final de 2021 e mais de mil no próximo ano.

O diretor de Operações da AXS Energia, Alysson Barros Paolinelli, complementou que a região conta com ótimo índice de radiação solar e temperatura amena, o que contribui com a performance dos equipamentos eletromecânicos e geração dos módulos fotovoltaicos nas usinas de energia solar. A qualidade da infraestrutura da rede também contribuiu para a decisão. “Nosso objetivo é que cada região que receber uma usina da AXS tenha uma espécie de ‘selo verde’. Seja referência na geração de sua própria energia de forma limpa e consciente”, explicou.

“As usinas de energia solar são um primeiro passo do grupo em Minas Gerais. Estamos atentos a diferentes possibilidades de investimento e, em breve, apresentaremos novas alternativas ao mercado mineiro nas áreas de armazenamento, mobilidade e principalmente parcerias para veículos elétricos”, garantiu Alysson Barros.

Roberta Santiago
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos