Início Projeto de combustível sustentável será realizado no Paraná com investimentos de R$ 9 milhões e foco na produção a partir de fontes renováveis como o biogás e o hidrogênio verde

Projeto de combustível sustentável será realizado no Paraná com investimentos de R$ 9 milhões e foco na produção a partir de fontes renováveis como o biogás e o hidrogênio verde

abril 8, 2022 às 10:23 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A utilização de fontes renováveis na produção de combustível sustentável, como o biogás e o hidrogênio verde, será essencial para atrair mais investimentos para o setor no estado do Paraná após o desenvolvimento do projeto
A utilização de fontes renováveis na produção de combustível sustentável, como o biogás e o hidrogênio verde, será essencial para atrair mais investimentos para o setor no estado do Paraná após o desenvolvimento do projeto. Fonte: Divulgação

A utilização de fontes renováveis na produção de combustível sustentável, como o biogás e o hidrogênio verde, será essencial para atrair mais investimentos para o setor no estado do Paraná após o desenvolvimento do projeto

Visando aproveitar a capacidade de produção de biogás e hidrogênio verde que o Paraná possui, a Agência Técnica de Cooperação Alemã GIZ e o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) anunciaram uma parceria nesta última quarta-feira, (06/04). As companhias irão desenvolver um projeto de combustível sustentável produzido a partir dessas fontes renováveis e irão iniciar já durante o ano de 2023.

Confira outras notícias relacionadas:

GIZ e CIBiogás iniciarão o desenvolvimento da planta de produção de combustível sustentável, como o biogás, a partir de fontes renováveis no Paraná já durante o ano de 2023. 

O Paraná é um estado fortemente conhecido pela sua capacidade de produção de fontes renováveis para diversos setores, com foco no biogás e no hidrogênio verde, e as companhias GIZ e CIBiogás estão de olho nesse potencial para o futuro. Assim, foi assinada uma parceria para o desenvolvimento de uma planta de produção de combustível sustentável a partir dessas fontes renováveis dentro do estado ao longo dos próximos anos, como forma de garantir um bom aproveitamento dessas reservas naturais.

A previsão para o início da construção da planta é para o ano de 2023 e os investimentos estão orçados em cerca de R$ 9 milhões, voltados para a construção do local e para a contratação da mão de obra qualificada para o desenvolvimento do projeto. Além disso, apesar da produção estar sendo pensada para uma escala laboratorial, a proposta é desenvolver um modelo que possa ganhar escala e ter os processos replicados.

Esse projeto está sendo a grande aposta das companhias para o estado do Paraná, principalmente após um estudo realizado pela RSB (mesa redonda sobre biomateriais sustentáveis), que identificou no Brasil um potencial para produção de até 9 bilhões de litros de combustível sustentável a partir de resíduos renováveis. Além disso, o estado do Paraná está entre os grandes destaques quanto às reservas desses recursos para a produção de combustível sustentável e possui uma grande capacidade para o aproveitamento do biogás e do hidrogênio verde ao longo dos próximos anos, com o apoio certo do governo e da iniciativa privada. 

Parque Tecnológico Itaipu irá abrigar planta de produção de combustível sustentável e petróleo sintético renovável será o grande foco das companhias no projeto 

Todo o projeto de desenvolvimento da planta de produção de combustível sustentável está contando com um grande apoio e haverá parceria da Fundação Araucária e da Universidade Federal do Paraná (UFPR), além do apoio do Núcleo de Pesquisas em Hidrogênio do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Itaipu Binacional. Com isso, o desenvolvimento dessa produção a partir de fontes renováveis como o biogás e o hidrogênio verde será muito mais eficiente e o foco principal das companhias é o petróleo sintético renovável. 

Assim, Markus Francke, diretor do projeto H2Brasil da GIZ, comentou sobre o petróleo e destacou que “Uma vez que todo o território brasileiro tem disponibilidade de biomassa residual, a solução proposta pelo projeto pode ser replicada em todo o país, oferecendo uma oportunidade para a produção descentralizada de combustíveis neutros em carbono”. Já Ramiro Wahrhaftig, presidente da Fundação Araucária ressaltou: “O Paraná tem enormes possibilidades de se transformar em um ator muito importante nas questões ligadas à produção do hidrogênio verde a partir da biomassa”.

A assinatura da parceria entre a Agência Técnica de Cooperação Alemã GIZ e o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) é o primeiro passo a ser dado para o desenvolvimento da planta e os próximos meses serão essenciais para a aceleração do projeto.

Relacionados
Mais recentes