Início Projeto de energia solar da Audi e da ONG Litro de Luz irá beneficiar famílias do Amazonas

Projeto de energia solar da Audi e da ONG Litro de Luz irá beneficiar famílias do Amazonas

fevereiro 10, 2022 às 11:50 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A companhia Audi, em parceria com a ONG Litro de Luz, desenvolveu um projeto para levar iluminação para as comunidades do Amazonas utilizando postes de energia solar e lampiões com materiais de reciclagem
A companhia Audi, em parceria com a ONG Litro de Luz, desenvolveu um projeto para levar iluminação para as comunidades do Amazonas utilizando postes de energia solar e lampiões com materiais de reciclagem. Fonte: Litro de Luz/Divulgação

A companhia Audi, em parceria com a ONG Litro de Luz, desenvolveu um projeto para levar iluminação para as comunidades do Amazonas utilizando postes de energia solar e lampiões com materiais de reciclagem

A Audi se juntou à ONG Litro de Luz para o desenvolvimento de um projeto voltado para as comunidades do estado do Amazonas e, nesta quinta-feira, (10/02), comentou sobre a iniciativa. A parceria visa levar iluminação para essas famílias por meio de postes a base de energia solar e lampiões que serão disponibilizados para elas e são produzidos a partir de materiais de reciclagem.

Leia também:

Audi e ONG Litro de Luz irão levar iluminação a base de energia solar para comunidades no estado do Amazonas

O mais novo projeto da Audi junto da ONG Litro de Luz vai levar iluminação à base de energia solar para cerca de 200 famílias das comunidades ribeirinhas Lindo Amanhecer, Nova Jerusalém e Canaâ do Aruaú, na região de Manaus, no estado do Amazonas. O objetivo principal da iniciativa é conseguir atender às necessidades dessas comunidades e expandir o consumo de energia de forma sustentável e consciente na região, uma vez que o recurso irá chegar a partir de uma fonte totalmente renovável e limpa para as famílias. 

Assim, a empresa e a ONG irão disponibilizar postes de energia solar nas áreas comuns de duas comunidades e lampiões solares para utilização das famílias em suas casas ou para deslocamentos. Toda a construção dos dispositivos foi pensada a partir de materiais provindos da reciclagem, com a utilização de canos de PVC e garrafas pet, equipados com placa solar, bateria de lítio e LED. Com isso, o projeto se torna também um grande contribuinte para o meio ambiente, uma vez que os materiais que antes iriam ser descartados poderão ser reutilizados para beneficiar as famílias.

A presidente da ONG Litro de Luz, Laís Higashi, ressaltou a importância do projeto para garantir mais qualidade de vida aos moradores das comunidades e destacou que “No Brasil, aproximadamente 2 milhões de pessoas, a maioria na região Amazônica, não tem iluminação. Com a nossa tecnologia, os moradores conseguem enxergar melhor para tomar remédio de madrugada ou amamentar durante a noite, fazer uma tarefa de casa ou andar com mais segurança”.

Projeto da Audi e da ONG Litro de Luz ainda está em fase inicial, mas pretende começar a beneficiar essas famílias ainda em 2022

A iniciativa da Audi e da ONG Litro de Luz ainda está caminhando em passos iniciais, com algumas fases que incluem visitas às comunidades para entender quais são as necessidades dos residentes, mapear locais estratégicos para implementação das soluções de iluminação a base de energia solar, avaliação do impacto gerado e suporte para o processo de logística reversa das baterias. No entanto, as projeções indicam que as instalações dos postes e a entrega dos lampiões inicie no mês de abril de 2022 e já comece a beneficiar essas comunidades.

Um ponto essencial dentro desse projeto é que as próprias famílias dessas comunidades serão capacitadas para o auxílio na instalação e manutenção dos postes de energia solar que serão disponibilizados. Com isso, o apoio comunitário será bastante relevante para o desenvolvimento dessa iniciativa, afinal, esse projeto é voltado principalmente para garantir uma boa iluminação e melhores condições de moradia para a população.

A Litro de Luz foi criada no ano de 2014 e vem se esforçando cada vez mais para atingir novas comunidades e auxiliar os moradores, além de já ter ajudado mais de 23 mil pessoas de comunidades rurais e urbanas, ribeirinhas, quilombos e aldeias indígenas com projetos voltados para melhorias na qualidade de vida.

Relacionados
Mais recentes