Tuesday, 21 de September de 2021

Pesquisadores desenvolvem piso com nanogerador capaz de gerar energia elétrica

Pesquisadores - piso - energia elétrica - nanogerador

Pesquisadores do EMPA desenvolveram um piso capaz de gerar energia elétrica com o uso de nanogeradores, o resultado e comercialização estão sendo estudados

Uma equipe de pesquisadores suíços do Laboratório Federal de Ciências Materiais e Tecnologia (EMPA) foram os responsáveis por criar um piso de madeira capaz de gerar energia elétrica através de um nanogerador. O nanogerador que foi desenvolvido, fica conectado ao piso de madeira, onde segundo os usuários pisarão e assim gerará energia elétrica. De forma simples, as peças do piso de madeira ficam carregadas de acordo com a pressão e distensão quando as pessoas pisam.

Leia também

Conheça o piso com nanogerador capaz de gerar energia elétrica

Pavegen, os pisos de energia sustentável – SporTV (Tá na Área)

Durante a fase de testes, os pesquisadores enfrentaram diversos problemas com o piso gerador de energia elétrica, pelo fato de a madeira ser triboneutra, ou seja, não tende a perder ou ganhar elétrons. Resultando assim na fabricação de uma madeira especifica, que tivesse essas características, elevando as propriedades triboelétricas dela.

Assim os cientistas revestiram uma madeira com tipo de silicone, o polidimetilsiloxano (PDMS), esse silicone tem a facilidade em ganho de elétrons, enquanto a outra peça da madeira conta com nanocristais ZIF-8 (Imidazilato zeolítico 8), que tem a função contrária ao silicone, fazendo assim com que perca elétrons.

Foram realizados diversos testes, com diversos tipo de madeira, tentando atingir o objetivo final, verificando se havia alguma diferença em espécies de madeira ou em qual direção eram cortadas, e assim os pesquisares foram capazes de averiguar se influenciava em suas propriedades triboelétricas.

Projeto de piso capaz de gerar energia elétrica chega ao resultado final

O melhor nanogerador desenvolvido pela equipe de cientistas foi construído com abeto, uma árvore nativa das florestas temperadas da Europa, assim cortada no sentido radial, feito ao longo do comprimento do tronco, porém, retirando as tábuas da borda externa para o centro. Os resultados foram muito mais promissores do que esperado, se comprando à versão anterior que fora criada, o nanogerador ficou centenas de vezes melhor.

A capacidade do piso nanogerador fez com que o mesmo acendesse uma lâmpada LED com apenas uma pisada, ficando assim também bem mais robusto, produzindo energia elétrica mais estável.

Nanogerador para pisos pode chegar ao mercado em breve

Segundo o líder do grupo de cientistas e professor da ETH, Guido Panzarasa, a equipe ainda tem desejo em pesquisar revestimentos de origem ecológica mais amigáveis do que o silicone.

Segundo Panzarasa, há muitos fatores em jogo – como quantas pessoas andarão nele, por exemplo, e com que frequência, o tamanho do espaço e assim por diante. O próximo passo de Panzarasa e sua equipe será encontrar revestimentos mais ecológicos para a madeira, e assim tornar os nanogeradores escaláveis para a produção em nível industrial.

“A ideia é que ao ser capaz de transformar um material que é ao mesmo tempo natural, renovável, sustentável e que armazena CO2, equipa-lo com a capacidade de gerar eletricidade ao ser pisado – sem sacrificar suas propriedades positivas e principalmente sua sustentabilidade – pode-se ter chegado, é claro, a uma tecnologia inovadora capaz de aumentar a eficiência energética dos edifícios”, afirma.

Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.