Tuesday, 21 de September de 2021

Mercado de energia solar no Brasil: Principais tendências, projeção de mercado e por que você deve investir neste mercado?

Energia solar no Brasil

A energia solar no Brasil e no mundo evolui de forma tão rápida que realmente fica difícil acompanhar tudo que está acontecendo. Tivemos um crescimento de mais de 3.000% em potencia instalada no Brasil nos últimos 3 anos.

O mercado de de energia solar é o mais abundante do planeta e a que mais cresce no Brasil e o mundo para se investir. O Brasil é um dos países com o maior potencial de geração de energia solar fotovoltaica. Produzida nos telhados das casas, estacionamentos, fachadas de edifícios ou em usinas solares de grande porte, é uma fonte de energia democrática, grande geradora de empregos, que traz tecnologia, conhecimento e inovação para empresas e universidades que ajudam nosso País a crescer e a se desenvolver com sustentabilidade.

Quando olhamos dados de performance do Mercado nesse ano, percebemos que o Brasil está de fato bem posicionado para ser uma liderança mundial na área. Porém, quando olhamos para o uso da tecnologia, do ponto de vista do atendimento e suprimento da demanda, ainda estamos atrasados.

Enquanto o fator de capacidade média, que representa o índice de produtividade das usinas fotovoltaicas no mundo é de cerca de 11,6%, no Brasil números do Ministério de Minas e Energia (MME) já mostram que chegamos a quase 18%. Ou seja, nossa produtividade e performance é mais de 50% melhor do que a do Mercado de outros países.

Qual é o papel da fonte solar na matriz energética brasileira?

Sabemos que a fonte solar representa apenas 1,2% da matriz e esse volume está aquém do papel estratégico que essa tecnologia tem a cumprir no . Precisamos combinar as diferentes fontes renováveis e a solar chega para agregar na eficiência energética.

As fontes renováveis têm sazonalidade ao longo do ano. Os recursos hídricos, por exemplo, passam por período de maior e menor disponibilidade para geração de eletricidade. O mercado da eólica e a biomassa, que têm complementaridade com a hídrica, também apresentam um período de baixa de produtividade, de safra e entressafra. Por outro lado, a solar sempre está na safra e, no período seco, tem alta de produtividade.

Essa menor variabilidade no mercado é uma excelente qualidade para complementar de forma robusta nossa matriz. A fonte solar ainda tem outros atributos, como por exemplo o de ajudar a reduzir a demanda por água para atividade de geração de energia elétrica, com o uso de tecnologia de flutuadores em cima dos reservatórios hídricos, preservando em até 70% a evaporação dessa água e ajudando a trazer uma matriz energética mais sustentável.

Como está a conscientização do consumidor brasileiro em relação à fonte de energia solar fotovoltaica?

A tecnologia conta com amplo apoio da sociedade. 93% dos brasileiros querem gerar energia renovável para sua casa e 85% da população apoiam mais investimentos públicos em energias renováveis, em especial solar e eólica. Isso vale também para os pequenos negócios, já que 80% instalariam o sistema solar fotovoltaico se tivessem acesso a financiamento competitivo.

Tipos de aproveitamento da energia solar

O aproveitamento da energia solar é obtido por efeito fotovoltaico ou térmico. No efeito fotovoltaico (FV), a obtenção da energia elétrica ocorre pela incidência de fótons da radiação solar sobre um material semicondutor, previamente purificado e dopado. Esse semicondutor é o principal componente das tradicionais células solares, que interligadas constituem o núcleo dos chamados painéis solares.

Além de atender a demanda por eletricidade pela indústria, comércio e residências, a energia elétrica obtida pelo efeito fotovoltaico também é utilizada na produção de hidrogênio e hidrocarbonetos sintéticos, por meio da eletrólise. 

O efeito térmico solar gera o calor utilizado para o aquecimento ou resfriamento de água bem como para a geração de vapor no uso industrial ou doméstico.  Pela via térmica também se produz energia elétrica através do processo denominado CSP (concentrated solar power). 

O mercado no Brasil, a difusão da geração de energia a partir do sol teve destaque na geração de calor (para aquecimento de água) e na geração de eletricidade fotovoltaica. Nesse caso, a geração de eletricidade ocorre de forma distribuída ou centralizada.

A geração distribuída

Na geração distribuída, os sistemas podem ser isolados ou conectados à rede elétrica. Os principais componentes de um sistema fotovoltaico isolado de geração de energia são os seguintes: painel fotovoltaico, controlador de carga, inversor e banco de baterias. Nos sistemas conectados à rede, deve ser incluído a medição bidirecional de energia.

O banco de baterias pode ser mantido quando se opta por um sistema híbrido em localidades com alta instabilidade na rede elétrica.

Quanto às células fotovoltaicas, os principais tipos atualmente disponíveis são: células cristalinas e células de filme fino.

No âmbito dessas duas tecnologias existem diversas variações de arquitetura, de processo produtivo e de semicondutores que são utilizadas visando à redução de custos e o aumento da eficiência das células e painéis. Atualmente, as células de silício mono e policristalino são as que detêm a maior participação de mercado. 

Em paralelo, diversos outros tipos de células cristalinas e de filme fino despontam como apostas tecnológicas, como por exemplo as células multijunção e as orgânicas, dentre diversas outras. O gráfico a seguir mostra a composição típica média de preço de um sistema fotovoltaico.

Como funciona o sistema de energia solar fotovoltaico?

A energia solar fotovoltaica funciona com painéis solares que captam a luz e geram energia elétrica, por meio do efeito fotovoltaico. Esta eletricidade é levada ao inversor solar, responsável pela conversão do tipo de corrente, de contínua para alternada, e então a energia é distribuída para o local.

O funcionamento do efeito fotovoltaico se dá quando as partículas de luz solar (fótons) colidem com os átomos de silício presentes no painel solar. Esta colisão gera um deslocamento dos elétrons, que cria uma corrente elétrica contínua. Esta corrente também é chamada de Energia solar fotovoltaica.

Existem 3 formas de funcionamento de um sistema de energia solar fotovoltaico, que varia pelo tipo de sistema instalado:

  • sistema de energia solar conectado à rede (on-grid);
  • sistema fotovoltaico isolado ou autônomo (off-grid);
  • sistema de energia solar híbrido.

Dessa forma, podemos diferenciá-las a partir do seu modo de operação, já que o sistema on-grid atua com a inserção de energia diretamente na rede elétrica, enquanto há presença de luz solar no imóvel.

Por outro lado, o sistema off-grid funciona por meio de um banco de armazenamento que conta com baterias que não estão ligadas a uma rede elétrica, com o diferencial de manter o seu funcionamento em períodos noturnos ou chuvosos, momentos em que há baixa ou nenhuma luminosidade. 

Já o sistema híbrido tem sua operação de modo simultâneo, entre on-grid e off-grid, fazendo com que seu trabalho ocorra conectado à rede, enquanto o banco de baterias está carregando, e vice-versa.

Brasil é o segundo maior empregador na cadeia de energia limpa

Energia solar no Brasil
Torres de energia eólica

De acordo com o relatório Renewable Energy and Jobs produzido e divulgado pela IRENA, em 2018 o Brasil gerou 1,125 milhões de empregos na cadeia de produção de energias renováveis.

O país foi o segundo do mundo ficando atrás apenas da China. Quando consideramos a União Européia como um todo, o Brasil fica em terceiro no ranking. A cadeia de energia solar fotovoltaica empregou mais de 15 mil pessoas em 2018 no país. Já o setor de biocombustíveis ainda é o mais expressivo, empregando cerca de 832 mil pessoas.

Brasil ganhará segundo maior parque solar do mundo

Painéis de energia solar - energia solar no Brasil

O maior parque solar do Brasil e segundo maior do mundo será construído na cidade de Canindé de São Francisco, em Sergipe. O projeto foi elaborado para uma capacidade instalada de 1.200 MW. O investimento ficará em torno de R$ 5 bilhões espalhados por uma área de 2,4 mil hectares de terreno.

A inciativa é da ENESF (Energias do São Francisco), uma associação de empresas e investidores do estado do Sergipe. O projeto já está aprovado e sua primeira fase contará com a instalação de 600 MW, com aquisição via leilão do Governo Federal, previsto para outubro deste ano.

O parque solar brasileiro ficará atrás apenas do Golmud Deset Solar Park, que fica na China e possui capacidade de 1.800 MW.

Você ainda tem dúvidas que o amanhã já chegou?

A energia solar fotovoltaica é uma realidade e seu crescimento é exponencial. O mercado brasileiro está em expansão e o setor já atraiu atenção do governo.

De acordo com a ABSOLAR, em 2040 a fonte solar conquistará o primeiro lugar no ranking da matriz energética brasileira com 32% de participação. Em segundo lugar deve ficar a hidreletricidade, que conforme previsões representará cerca de 29%.

Se você acha que a energia solar fotovoltaica é uma excelente opção, porém é muito cara, saiba que o preço do sistema está cada vez mais acessível. Como a procura pela energia fotovoltaica aumentou muito, os materiais ficaram mais baratos e os bancos estão praticando taxas de financiamento bem atrativas.

Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.