Tuesday, 21 de September de 2021

O setor de energia solar e eólica de MG recebe R$ 5,2 bilhões para megaprojeto em energia renovável

Energia renovável recebe R$ 5,2 bilhões para investir em complexo híbrido de energia eólica e solar em Minas Gerais, gerando 400 novas vagas de emprego

Com aporte de R$ 5,2 bilhões, complexo híbrido em energia eólica e solar será desenvolvido em Minas Gerais, gerando cerca de 400 novas vagas de emprego

No decorrer do ano, muitos investimentos estão sendo realizados no setor de energia renovável. Enquanto o Nordeste é um dos maiores produtores de energia eólica do país, o Estado de Minas Gerais é referência em energia solar. Pensando nisso, a companhia alemã Sowitec anunciou nessa quarta-feira, 08, que estará investindo R$ 5 bilhões para construir um megaprojeto em energia limpa. Os locais escolhidos para os projetos serem desenvolvidos serão três cidades no norte de Minas. Cada uma irá receber um projeto, portanto, a ideia do megaprojeto é utilizar placas fotovoltaicas em um município, eólica em outro local e por último, desenvolver um sistema híbrido, utilizando às duas fontes renováveis e em todas elas, gerar vagas de emprego para a população.

Veja mais notícias interessantes:

Projetos em energia eólica, solar e híbrido irão gerar diversas vagas de emprego

A companhia alemã Sowitec, dará um aporte de R$ 5,2 bilhões para que os projetos sejam desenvolvidos. O projeto de energia solar está sendo instalado em duas cidades, em Pirapora e o outro em Presidente JK.

Complexo de energia solar

Em Pirapora, o aporte foi realizado em um projeto solar que já está em andamento, conhecido como Minas do Sol. A expectativa é que, após o projeto ficar completo, ele consiga atender anualmente, 250 residências no município.

Já em relação ao projeto de Presidente JK, esse está bem mais avançado que os demais, onde as medições solarimétricas já estão nos conformes exigidos pelos órgãos superiores, bem como a licença ambiental e demais regularizações. A energia solar gerada nesse projeto, através das placas fotovoltaicas, conseguirá atender cerca de 350 residências por ano.

Complexo híbrido Gameleiras

Como o próprio nome já deduz, o projeto híbrido consiste na junção de duas fontes renováveis, a solar e a eólica. A fonte híbrida, também chamada Complexo de Geração de Energias Gameleiras, consegue convergir entre gerar energia solar ou eólica. As cidades que serão beneficiadas com a instalação dessa fonte de energia renovável são: Rio Pardo de Minas, Espinosa, Monte Azul, Santo Antônio do Retiro e Mato Verde.

O complexo híbrido ainda está em fase de regulamentação, esperando a licença ambiental para poder iniciar a fase de construção. Dessa forma, não há possibilidade de as operações iniciarem ainda este ano. Assim, a expectativa é que a construção seja iniciada somente em 2023, e que o projeto seja desenvolvido em cerca de 2 a 4 anos.

Para a geração eólica, a capacidade instalada durante a primeira fase será de 600 MW e no solar, de 400 MWac (520 MWp). No final, a energia solar terá uma capacidade de 600 MWac (780 MWp) e 1.400 MW no eólico, atendendo cerca de 1,5 mil residências por ano.

Para que a capacidade total instalada entre em operação, a fonte de energia renovável deverá ter sido finalizada somente em 2027. Entretanto, se o projeto seguir à risca o proposto, a primeira fase poderá entrar em operação até o final de 2024. Outro lado importante para o desenvolvimento desse projeto é a geração de 400 vagas de emprego para instalar as placas fotovoltaicas e demais equipamentos.

Em todas as fases, serão necessários muitos trabalhadores. Por esse motivo, é que serão ofertadas essas vagas de emprego. O complexo será imenso, com 355 hectares, o equivalente a mais de 300 campos de futebol.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.