Início Energia solar fotovoltaica deverá alcançar marca de 34 GW de potência instalada em geração distribuída no Brasil até o ano de 2031, segundo projeções do Ministério de Minas e Energia

Energia solar fotovoltaica deverá alcançar marca de 34 GW de potência instalada em geração distribuída no Brasil até o ano de 2031, segundo projeções do Ministério de Minas e Energia

abril 15, 2022 às 1:02 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O novo plano decenal para o segmento energético nacional, lançado pelo Ministério de Minas e Energia, prevê uma grande expansão na potência instalada de energia solar fotovoltaica na modalidade de geração distribuída, que deve alcançar 34 GW até 2031
O novo plano decenal para o segmento energético nacional, lançado pelo Ministério de Minas e Energia, prevê uma grande expansão na potência instalada de energia solar fotovoltaica na modalidade de geração distribuída, que deve alcançar 34 GW até 2031. Fonte: Pixabay

O novo plano decenal para o segmento energético nacional, lançado pelo Ministério de Minas e Energia, prevê uma grande expansão na potência instalada de energia solar fotovoltaica na modalidade de geração distribuída, que deve alcançar 34 GW até 2031

O Ministério de Minas e Energia liberou, durante a última quinta-feira, (07/04), o seu novo plano decenal para o segmento energético nacional e, com isso, fez novas projeções sobre o setor das energias renováveis no Brasil. Dessa forma, o órgão espera que o país alcance a marca de 34 GW de potência instalada em Geração Distribuída (GD) de energia solar fotovoltaica até o final do ano de 2031.

Notícias relacionadas:

Plano decenal do Ministério de Minas e Energia para o segmento energético do Brasil traz novas expectativas para a produção de energias renováveis ao longo dos próximos anos 

Com o objetivo principal de indicar quais são os planos e as perspectivas para o setor energético no Brasil no horizonte dos próximos dez anos (2022 a 2031), o Ministério de Minas e Energia liberou o plano decenal na última semana e, com isso, o país já conta com as novas projeções em relação ao futuro da produção de energias renováveis nos próximos anos, com um grande otimismo por parte do órgão para o segmento.

Assim, as micro e minigeração distribuída deverão alcançar a marca de 37 GW de potência instalada até o fim de 2031 e, dentro desse valor, cerca de 93% será da energia solar fotovoltaica, que terá um total de 34 GW de potência instalada em geração distribuída no território nacional ao fim do plano decenal, segundo as projeções do relatório liberado pelo Ministério ao longo desta última semana. 

Além das projeções em relação aos resultados em potência instalada no Brasil ao final do plano decenal, o relatório do Ministério de Minas e Energia também trouxe algumas expectativas em relação às tendências dentro da produção de energia solar fotovoltaica no mercado nacional.

Assim, o órgão está prevendo um crescimento significativo da utilização de sistemas bifaciais para uma melhor produção desse recurso, como forma de garantir mais eficiência e captação de radiação solar fotovoltaica para a conversão em energia elétrica no território nacional. 

Hibridização de usinas de energia solar fotovoltaica e energia eólica irã contribuir para a expansão da geração distribuída de energias renováveis no Brasil no plano decenal

A geração distribuída de energia no território nacional deverá alcançar grandes resultados ao longo dos próximos 10 anos, de acordo com as projeções do Ministério de Minas e Energia. Assim, o órgão está com expectativas altas para que o segmento, em conjunto com a autoprodução, consiga chegar a representar mais de 17% da matriz elétrica nacional, estimada em 275 GW ao final do horizonte decenal, expandindo ainda mais a presença e a atração de novos investimentos para esse setor ao fim do plano. 

Com isso, o relatório afirma que “Outro aspecto importante sobre as fontes eólica e solar fotovoltaica é a possibilidade de ‘hibridização’, ou seja, a conexão conjunta de usinas fotovoltaicas e eólicas, discutida pela primeira vez no PDE 2027, bem como em outros trabalhos já publicados pela EPE nos últimos anos. Ademais, a recente regulamentação de usinas híbridas e associadas, por meio da Resolução Normativa ANEEL nº 954/2021, reforça a importância do tema. Para fins de modelagem, essas fontes são consideradas de forma individual nos estudos do Plano”.

Por fim, o plano decenal do Ministério de Minas e Energia não foca somente na energia solar fotovoltaica e também conta com projeções para os investimentos que serão aplicados no país e devem girar em torno de  R$ 3,2 trilhões, sendo R$ 2,7 trilhões relacionados a petróleo, gás natural e biocombustíveis, e quase R$ 530 bilhões a geração e transmissão de energia elétrica.

Relacionados
Mais recentes