Saturday, 04 de December de 2021

Energia eólica: Entenda sua importância no ramo de energia renovável do Brasil e no mundo

energia eólica

Entender a energia eólica vai te ajudar a compreender como ela é importante para o mundo moderno. Confira no nosso blog mais informações!

Uma das fontes de energia renovável mais interessantes, dentre as novas matrizes energéticas, é a eólica.

Apesar de não ser perfeita, a energia eólica traz uma série de possibilidades bastante positivas, além de permitir que haja uma verdadeira revolução na matriz energética brasileira.

Vamos conversar sobre as vantagens e os problemas que a energia eólica pode trazer para o Brasil. 

Como surgiu a energia eólica no mundo?

A energia eólica é a energia produzida a partir da movimentação de turbinas realizada pelo vento. Um dos exemplos mais comuns são os famosos moinhos de vento que, por meio da utilização da força do vento, eram capazes de moer grãos e sementes em grande quantidade. Assim como as hidrelétricas são uma evolução quase que direta dos Moinhos d’água, fonte de energia mais comum do Brasil.

A evolução dos sistemas usados nos Moinhos de Vento, direcionando-os à geração de energia, ocorreu no final do século XIX. Por volta de 1888, Charles Bruch criou a primeira turbina de vento conectada a um transformador. Essa primeira versão de Aerogerador, conseguiu produzir 12 KW de corrente contínua para o carregamento de baterias destinadas ao fornecimento de energia para 350 lâmpadas incandescentes.

Esse primeiro sistema foi funcional até meados de 1908, quando foi finalmente eliminado.

Apenas por volta dos anos 1930, na Rússia, surgiram os primeiros geradores de mais potência, que eram conectados a uma rede elétrica, visando oferecer suporte a uma termelétrica. O desempenho desses novos geradores eólicos foi bem melhor do que os modelos anteriores, visto que eram capazes de gerar cerca de 20 MW, enquanto o aerogerador  anterior tinha uma potência de 100 kW. Em um ano, esse aerogerador novo gerou 5 cargas de 280000 KW/hora, o que significa cerca de 32% de aproveitamento da energia total.

Como surgiu a exploração eólica no Brasil?

Usando o nome “Programa de Incentivo às Fontes Alternativas”, nosso programa de energia eólica foi lançado recentemente, está em atividade há pouco tempo.

Criado apenas em 2001, em meio a uma crise energética, o programa emergencial de energia eólica começou a desenhar um panorama para a possibilidade de implantação efetiva da criação de energia eólica no país.

Em 2002, houve um programa de incentivo à instalação de aerogeradores no Brasil, mas apenas em 2008, quando houve o primeiro leilão de fonte exclusiva de energia eólica, foi que o mercado realmente se solidificou.

A partir daí surgem interessados nos benefícios do governo e outras questões que finalmente tornaram possível começarmos a pensar em um Brasil com energia eólica, inclusive a nível de referência global.

Hoje em dia, a energia eólica é a fonte de energia renovável com maior produção no Brasil, seguida pela energia fotovoltaica.

energia eólica
Existem diversas possibilidades de uso conjunto do espaço dos parques eólicos Fonte: Enel Green Power

Os números da energia eólica no país, atualmente, são bem positivos. Somos o 7º país no ranking mundial de geração acumulada de energia eólica, de acordo com o ranking mundial do Global Wind Energy Council.

Qual a importância econômica da energia eólica no Brasil?

A energia eólica vem se tornando cada vez mais importante para o Brasil, especialmente para a região Nordeste. Além de ser uma tecnologia que gera empregos e agrega valor em ambientes onde outras atividades têm mais dificuldades para acontecer, a capacidade eólica do Brasil ainda atrai investimentos internacionais.

Por exemplo, o BNDES conseguiu arrecadar 1 milhão de reais do Banco Japonês de investimento e cooperação internacional, para o desenvolvimento da energia eólica por aqui. E esse não foi o único recurso captado.

Outro detalhe interessante é que os terrenos utilizados para a implantação dos aerogeradores não são totalmente inutilizados, ao contrário de outras tecnologias, mesmo de energia renovável.

O mais comum é que as terras arrendadas para a criação de parques eólicos sejam de pequenos e médios agricultores, isso quando não estamos falando de aerogeradores colocados próximos da costa. Esses produtores ainda conseguem manter suas atividades de agricultura e pecuária junto aos aerogeradores, sem que nenhuma das atividades interfira negativamente na outra.

Além disso, olhando para o novo mercado econômico que está sendo criado entre os países, que é a venda de cotas de carbono. Os países capazes de vender cotas de carbono atraem ainda mais recursos internacionais para a criação de novos parques eólicos ou solares.

Como é possível notar, a energia eólica traz desenvolvimento, qualidade de vida, e ainda pode ser socialmente transformadora ao injetar recursos, inclusive internacionais, em economias locais que podem estar sofrendo com dificuldades relacionadas ao clima, à agricultura ou ao extrativismo.

Como funciona um aerogerador?

aerogerador fornecimento
funcionamento do aerogerador. Fonte:Neoenergia

A turbina eólica ou aerogerador tem uma série de mecanismos que podem ser considerados quase tradicionais, mas com o avanço da tecnologia, eles trazem uma série de inovações em relação às suas versões iniciais.

O mecanismo da turbina eólica tem como principal objetivo a transformação indireta de energia eólica em energia elétrica.

Isso porque, antes de gerar energia elétrica, a energia eólica é transformada em energia mecânica, basicamente, com a rotação das pás. O eixo das pás é ligado, entre outras coisas, ao gerador que coleta a energia mecânica e a converte em energia elétrica.

Desta maneira, o vento, ao movimentar as pás, movimenta o eixo, que transmite este movimento até os naceles, que os aceleram e o levam ao transformador, que vai então absorver esta energia mecânica e convertê-la  em energia elétrica.

Como o movimento dos ventos e sua velocidade, os geradores têm uma série de controles de segurança para que, em caso de uma tempestade, ou de vento excessivamente forte, não exista prejuízo nos componentes do aerogerador, que não são exatamente baratos.

Por causa deste tipo de situação, os locais ideais para a geração de energia eólica não precisam apenas de vento, mas também de constância de velocidade e clima para que o trabalho possa ocorrer, literalmente, dia e noite.

Quais são as profissões e carreiras relacionadas à energia eólica?

O mercado relacionado à energia eólica é vasto e interessante. Infelizmente algumas dessas vagas não são tão comuns no Brasil, mas, ainda assim, não se deve desistir totalmente desses mercados. De acordo com o mapa da indústria eólica, de autoria da ABDI, podemos classificar os postos de trabalho do mercado de energia eólica da seguinte maneira:

Desenvolvimento de projetos 

Aqui entram os profissionais com capacidade de prospectar e desenvolver novos projetos, além também de projetar as turbinas eólicas em si.

Esta é uma área na qual profissionais das áreas de Engenharia e Arquitetura podem acabar se destacando, além de design de produtos e similares.

Outros profissionais que, por motivos burocráticos, acabam sendo indispensáveis nesta fase do projeto são os advogados especializados, para verificar a regulamentação do projeto e a liberação com as agências e órgãos envolvidos.

Também fazem parte da cadeia de consulta necessária os meteorologistas, geógrafos e outras atividades correlatas com questões de planejamento.

Execução

Dentro da área de execução existe a criação de toda uma indústria especializada para a criação dos aerogeradores e peças de manutenção, além de outros equipamentos elétricos necessários para o bom funcionamento da operação.

Apenas para a construção do aerogerador, necessita-se metalurgia, empresas de fibra de vidro e carbono para as pás, componentes eletrônicos para os controles e mais uma série de outros itens, que juntos, formam o complexo capaz de funcionar, gerando e convertendo corretamente a energia.

Construção e montagem

Em aspecto de construção e montagem, entram em ação novamente os engenheiros, além de diversos outros profissionais da área de construção civil, principalmente os especialistas em eletricidade. Desta maneira temos um dos impactos mais importantes e interessantes do mercado de energia eólica, que é a construção dos parques eólicos em si. Essas não são obras pequenas e não devem ser consideradas como simples, já que existem diversos aspectos técnicos que precisam ser respeitados para a maximização dos resultados.

Operação e manutenção

A operação e a manutenção dos parques eólicos demandam que uma série de profissionais tenham expertise em um nível técnico mais específico para cuidar da manutenção. Além de controle e monitoramento do parque, são necessárias habilidades de relacionamento e negócios para manter e expandir os contratos da empresa.

Outras áreas que precisam de atenção são direcionadas à vigilância ambiental. Técnicos especializados em medições diversas como os níveis de potência de ruído, o impacto territorial dentro da área destinada e outras grandezas envolvidas nesse trabalho. Algumas dessas atividades são propostas e realizadas diretamente por funcionários do parque eólico, enquanto outras podem acabar sendo terceirizadas, o que gera uma nova gama de pequenas empresas especializadas para atender a essa demanda.

Ensino e pesquisa

Ensino e pesquisa são de grande importância para esse mercado de capacitação. O desenvolvimento de pesquisa que leve ao surgimento das novas tecnologias é essencial para que seja possível a melhoria constante e o aprimoramento das tecnologias já existentes, permitindo o aumento da eficácia dos geradores e a resolução dos problemas e dificuldades técnicas que os componentes desta indústria apresentam no momento.

Nessa área especialistas e professores, além de multiplicadores de campo e outros profissionais relacionados ao ensino e pesquisa, acabam se fazendo necessários no mercado de energia eólica.

Quais são os parques eólicos e as empresas que operam no Brasil?

Como o mercado vem se expandindo consideravelmente nos últimos anos, parques eólicos no Brasil estão em pleno estado de possibilidade de multiplicação.

Confira os principais parques eólicos do Brasil

  • Parque Eólico Giribatu
    Localização: Santa Vitória do Palmar (RS)
    Capacidade instalada: 258 MW
     
  • Complexo Eólico do Alto do Sertão I
    Localização: Caetité, Guanambi e Igaporã (BA)
    Capacidade instalada: 293,6 MW
     
  • Parque Eólico de Osório
    Localização: Osório (RS)
    Capacidade instalada: 300 MW
     
  • Complexo Eólico Desenvix Bahia
    Localização: Macaúbas, Novo Horizonte e Seabra (BA)
    Capacidade instalada: 95,2 MW
     
  • Parque Eólico Sangradouro
    Localização: Arroio Sangradouro (RS)
    Capacidade instalada: 50 MW
     
  • Parque Eólico Elebrás Cidreira 1
    Localização: Tramandaí (RS)
    Capacidade instalada: 70 MW
     
  • Parque Eólico Enacel
    Localização: Aracati (CE)
    Capacidade instalada: 31,5 MW
     
  • Parque Eólico Giruá
    Localização: Giruá (RS)
    Capacidade instalada: 11 MW
     
  • Parque Eólico Beberibe
    Localização: Beberibe (CE)
    Capacidade instalada: 25,6 MW
     
  • Parque Eólico Cabeço Preto
    Localização: João Câmara (RN)
    Capacidade instalada: 19,8 MW
     
  • Parque Eólico Lanchina
    Localização: Tenente Laurentino Cruz (RN)
    Capacidade instalada: 28 MW
     
  • Complexo Eólico Calango
    Localização: Bodó (RN)
    Capacidade instalada: 150 MW
     
  • Parque Eólico Volta de Rio
    Localização: Acaraú (CE)
    Capacidade instalada: 42,4 MW
     
  • Parque Eólico Bons Ventos
    Localização: Aracati (CE)
    Capacidade instalada: 50 MW
     
  • Parque Eólico de Praia Formosa
    Localização: Camocim (CE)
    Capacidade instalada: 104,4 MW

Atualmente, 5 empresas vêm atuando de forma mais massiva na geração de energia eólica.

Elas são: CPFL renováveis, Cubico, Renova, Eletrosul e Enel Green Power(EGP).

Principais áreas de exploração da energia eólica no Brasil.

A principal região produtora de energia eólica no Brasil nesse momento é a região Nordeste. Apresentando diversas áreas de ventos estáveis, capazes de gerar uma energia de fonte eólica com qualidade.

Em 2020, o ranking de estados brasileiros produtores era o seguinte: Bahia 166 MW, Rio Grande do Norte 60 MW, Rio Grande do Sul 81 MW, Ceará 82 MW, Piauí 61 MW.

A produção de energia eólica no Nordeste tem sido tão positiva, nas atuais condições de bons eventos climáticos, que aproximadamente 55% de toda a energia consumida no país advém de seus parques eólicos.

Quais são as maiores vantagens e desvantagens da energia eólica?

A Energia eólica, diferentemente da energia solar, tem uma intermitência diferente da energia solar. A energia eólica depende dos ventos para manter sua meta de produção,  diferente da energia solar que só mantém captação ativa durante algo em torno de 12h por dia.

energia eólica em rede ou distribuída
A energia eólica pode ser feita dentro e fora da rede de energia. Fonte tecnogera

 O vento sopra de formas diferentes, porém o estudo geográfico de implantação dos parques eólicos já prevê direcionamento dos aerogeradores para menos perda. 

Outra vantagem em relação a outros tipos de produção de energia renovável é que ela permite que o espaço que o parque ocupa seja utilizado também para realização de outras atividades. É muito comum, inclusive, que as áreas nas quais existem parques eólicos acabem se transformando também em áreas agrícolas ou de pasto, pois infelizmente não é exatamente agradável morar perto das dos parques eólicos devido ao ruído constante gerado pelos aerogeradores (ruído este que pode, além de ser bem desagradável, até se tornar um problema para a saúde).

Outra questão avaliada é que, os parques eólicos podem não gerar nenhum tipo de impacto de poluição terrestre ou emissão de gases do efeito estufa, mas gera impacto visual considerável, o que também pode ser interpretado como uma forma de poluição.

Há de se comentar, também, que uma das maiores vantagens, e isso vem sendo considerado até em relação à energia solar fotovoltaica, é que a energia eólica tem um custo menor de produção. E a vida útil de uma turbina eólica é mais economicamente interessante em relação à aparelhagem da energia solar fotovoltaica.

Outra questão importante é que existe impacto ambiental também para aves, especialmente aves migratórias ou ainda na vida marinha, no caso de parque offshore. No momento da implementação do Parque Eólico existe o risco de ele ser totalmente embargado se for comprovada a interferência na migração de aves ou nos mares.

A energia eólica e o efeito estufa.

Como foi possível concluir, a energia eólica é sim uma alternativa interessantíssima em relação a outras fontes que dependem da queima de combustíveis fósseis para o funcionamento ou como resíduo, principalmente no aspecto em relação à piora do efeito estufa.

Nós vimos que é possível existirem algumas dificuldades a serem ultrapassadas na aplicação de parques eólicos, mas as vantagens são muito maiores e mais numerosas do que os problemas.

Lembrando também que, com o avanço das tecnologias, será possível tornar os parques eólicos ainda mais eficientes. E com os créditos de carbono que ele é capaz de gerar, ele faz com que a empresa ainda receba este adicional que a torna ainda mais lucrativa.

Espero que essas informações tenham mostrado a você o impacto positivo que essas tecnologias são capazes de gerar frente aos dilemas energéticos atuais. E que tenha sido possível mostrar também como, com o devido esforço, o Brasil vem se tornando um destaque na geração de energias de fontes renováveis.