Início ABEEólica divulga dados sobre retorno de parques eólicos no RN

ABEEólica divulga dados sobre retorno de parques eólicos no RN

fevereiro 28, 2022 às 6:14 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O Rio Grande do Norte conta com um grande retorno em relação ao PIB e à geração de emprego com os investimentos em energias renováveis, principalmente a energia eólica, segundo a ABEEólica
O Rio Grande do Norte conta com um grande retorno em relação ao PIB e à geração de emprego com os investimentos em energias renováveis, principalmente a energia eólica, segundo a ABEEólica. Fonte: Freepik

O Rio Grande do Norte conta com um grande retorno em relação ao PIB e à geração de emprego com os investimentos em energias renováveis, principalmente a energia eólica, segundo a ABEEólica

Recentemente, a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) divulgou alguns estudos realizados sobre o retorno dos investimentos em energias renováveis no Rio Grande do Norte. Até essa segunda-feira, (28/02), foi apurado que, a cada R$ 1 investido em energia eólica, R$ 2,9 retornam para o estado dentro do Produto Interno Bruto (PIB), além da alta capacidade de geração de emprego para a população potiguar na construção dos parques eólicos.

Artigos relacionados:

Dados da ABEEólica mostram que a cada R$ 1 investido em energia eólica, R$ 2,9 retornam para o estado dentro do PIB arrecadado 

A ABEEólica é o órgão responsável por regular, fiscalizar e realizar diversos estudos acerca da produção de energias renováveis, com foco na energia eólica, no território brasileiro. Assim, a associação realizou uma pesquisa no Rio Grande do Norte para entender o retorno dos investimentos nesse tipo de produção e verificou que a cada R$ 1 aplicado em projetos de energia eólica no estado, cerca de R$ 2,9 retorna em forma de capital dentro do Produto Interno Bruto da região potiguar

Além disso, a geração de emprego para os moradores do estado também é um dos grandes destaques para esse segmento, uma vez que 196 mil empregos foram gerados na atividade entre 2011 e 2020, representando um total de 10,7 empregos por megawatt (MW) instalado na fase de construção dos parques eólicos e, em média, 0,6 empregos por MW instalado para Operação & Manutenção. Assim, a produção de energias renováveis, com foco na eólica, vem sendo um dos grandes contribuintes para o desenvolvimento socioeconômico do estado do Rio Grande do Norte.

Com isso, a presidente da ABEEólica, Elbia Gannoum, ressalta que “Esta é a prova de que, além de ser uma energia renovável, a eólica também tem um forte componente de aquecer atividades econômicas das regiões aonde chegam parques eólicos, fábricas e toda a cadeia de sua indústria. E este é um número fundamental num momento em que discutimos a retomada econômica verde. Neste exato momento, têm-se quase 5 GW em construção pelo País, então com esse valor do estudo sabemos que são mais de 50 mil trabalhadores neste momento construindo nossas futuras eólicas, além dos mais de 15mil em Operação & Manutenção”.

2022 será um ano de grandes resultados para as energias renováveis no estado do Rio Grande do Norte, segundo projeções

O Rio Grande do Norte é um dos maiores produtores de todo o Brasil quando se trata das energias renováveis e vem investindo cada vez mais nesse segmento com o passar dos anos. Agora, de acordo com os dados apurados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec-RN), o RN pode gerar pelo menos 4.287 mil novos postos de emprego no setor de energia eólica (parques eólicos) e solar (energia centralizada), contribuindo ainda mais para a expansão desse segmento na região. 

Além disso, o ganho ambiental para o Rio Grande do Norte é um outro fator de extrema importância na produção das energias renováveis, uma vez que, somente entre os anos de 2016 a 2024, o setor eólico brasileiro terá evitado emissões de gases do efeito estufa valoradas entre R$ 60 bilhões e 70 bilhões e, além disso, trará quase o triplo desses valores dentro do Produto Interno Bruto. 

Com isso, o estado do Rio Grande do Norte segue avançando para duplicar a sua capacidade instalada em energias renováveis até o ano de 2030 e atrair, cada vez mais, novos investimentos e empreendimentos para o segmento em todo o estado potiguar nos próximos anos.

Relacionados
Mais recentes