Início Brasil, EUA e México são líderes nas Américas em produção de energia eólica

Brasil, EUA e México são líderes nas Américas em produção de energia eólica

dezembro 29, 2021 às 9:59 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Dados significativos mostram que o Brasil, EUA e México foram os líderes em produção de energia eólica nas Américas, em relação ao mercado global
Dados significativos mostram que o Brasil, EUA e México foram os líderes em produção de energia eólica nas Américas, em relação ao mercado global. Fonte: Freepik

Dados recentes mostram que o Brasil, EUA e México foram os líderes em produção de energia eólica nas Américas, com dados significativos em relação ao mercado global

A produção de energias renováveis, em especial a eólica e a solar, está crescendo de maneira bastante acelerada no mundo inteiro e as Américas não poderiam estar fora desse segmento. Durante esta última sexta-feira, (24/12), os dados do Conselho Global de Energia Eólica (Global Wind Energy Council – GWEC, na sigla em inglês) mostraram que o Brasil, EUA e México foram os líderes em produção de energia eólica no continente americano.

Não deixe de conferir:

Brasil segue sendo líder na produção de energia eólica na América do Sul 

O Brasil é referência no mercado mundial em relação à produção de energia renovável, em razão do seu posicionamento geográfico bastante favorável. Agora, o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério das Minas e Energia, Reive Barros, comentou sobre o fato de que o Brasil adicionou 2 GW de capacidade eólica à sua matriz energética em 2018 e leiloou capacidade desse tipo de energia a preços competitivos em nível global de U$ 20 por MWh. 

O secretário ainda destacou que o país tem capacidade para produção de energia eólica de 14,7 GW e afirmou que “Isso representa, na matriz energética brasileira, cerca de 8% do total. A meta é que daqui a 10 anos este percentual suba para 13%”. O executivo também complementou: “Num prazo mais longo, contudo, a Bahia deverá assumir a liderança, por suas dimensões territoriais e potencialidades”.

O ano de 2021 apresentou um crescimento considerável em relação à produção de energia eólica e Barros afirma que o país pretende expandir ainda mais e que “Nossa meta para a energia eólica no Brasil é crescer 2,2% ao ano”. Assim, o que se espera é que o Brasil consiga continuar liderando o cenário da energia eólica na América do Sul e sendo um dos maiores nas Américas. 

Continente americano continua crescendo em relação à produção de energia renovável

De acordo com dados do Conselho Global de Energia Eólica (Global Wind Energy Council – GWEC, na sigla em inglês), a capacidade instalada total de energia eólica nas Américas agora totaliza 135 GW, o que representa um crescimento de 12% em relação ao ano de 2017, além de que, durante o ano de 2018, as Américas possuíram 25% da capacidade global de geração dessa energia, índice que vem crescendo com o passar dos anos. 

Ben Backwell, diretor do GWEC, comentou acerca do grande potencial das Américas e de como o crescimento deve ser constante, afirmando que “O desenvolvimento do mercado de energia eólica na América Latina se mostra bastante positivo. O Brasil realizou novamente leilões de grande escala e esperamos que o primeiro leilão na Colômbia ocorra este mês de fevereiro. Outros investimentos na cadeia de suprimentos por parte das principais fabricantes de equipamentos originais na Argentina comprovam o potencial do mercado no longo prazo”.

Além dos dados de crescimento da capacidade das Américas como um todo, o GWEC também disponibilizou dados em relação à América do Norte, e constatou que houve aumento de 10,8% na capacidade adicionada em relação a 2017, enquanto na América Latina, a adição de capacidades cresceu 18,7% em relação a 2017.

Relacionados
Mais recentes