Saturday, 04 de December de 2021

Transforma Energia é destaque em reaproveitamento de resíduos para a produção de energia

Transforma Energia oferece energia limpa através do reaproveitamento de resíduos provenientes de setores como a construção civil

Utilizando resíduos provenientes de setores como a construção civil, a empresa Transforma Energia é destaque em desenvolvimento sustentável no Brasil

A preocupação acerca da utilização de fontes alternativas para a produção de energia e da reutilização de resíduos urbanos é cada vez mais crescente ao redor do mundo inteiro e a Transforma Energia é destaque nesse tema. A empresa fez alguns comentários na última segunda-feira, (08/11), sobre a sua prática de reutilização de resíduos provenientes das cidades e do setor da construção civil para o reaproveitamento dos materiais e a produção de energia limpa. 

Não deixe de ler esses artigos:

A companhia Transforma Energia se consagrou como uma gigante no tratamento de resíduos no país

A Transforma Energia é uma das principais empresas no ramo da coleta e tratamento de resíduos no Brasil, com iniciativas que visam um desenvolvimento sustentável dessa prática no país. A empresa conta atualmente com duas plantas totalmente legalizadas e em plena operação no comércio brasileiro e outras duas em fase de licenciamento – unidade de transbordo e Planta de Resíduos Sólidos Urbanos -, a Central de Valorização de Resíduos da Transforma Energia – localizada em Caiabu, 20 km de Presidente Prudente. Essas plantas são grandes referências no tratamento de resíduos de forma sustentável.

A empresa trabalha tanto com resíduos urbanos quanto com os provenientes do setor da construção civil e pretende expandir ainda mais os seus negócios, para as esferas pública e privada. Atualmente, a companhia conta com as plantas de tratamento e também faz trabalhos de reaproveitamento dos materiais e produção de energia através dos resíduos. 

Planta de Grandes Volumes transforma madeira, sofás, armários, entre outros, em combustível para caldeiras e indústrias. Fonte: Divulgação/AI
Planta de Grandes Volumes transforma madeira, sofás, armários, entre outros, em combustível para caldeiras e indústrias. Fonte: Divulgação/AI

O próximo passo da Transforma Energia é conseguir a licença para colocar a Planta de Resíduos Sólidos Urbanos em operação até janeiro de 2022. O diretor-presidente da Transforma Energia, Felipe Barroso, comentou acerca desse objetivo e dos próximos passos da empresa para a nova planta e afirmou que “a planta de resíduos sólidos urbanos, além dos aterros sanitários que vão receber o rejeito dessas plantas, já estão em licenciamento. O completo todo estará operacional com capacidade de 500 toneladas por dia a partir do ano que vem”.

Conversão de resíduos em energia e reaproveitamento de materiais é o principal objetivo da Transforma Energia 

Além do trabalho em relação à coleta e tratamento dos resíduos, o principal destaque da Transforma Energia é o reaproveitamento desses materiais, seja para usos posteriores na construção civil e outros setores ou para a produção de energia. O processamento de alguns materiais como sofás, armários e portas leva esses materiais a possuírem um alto poder calorífico e podem ser utilizados como fontes de energia para processos industriais de forma satisfatória, aumentando a oferta dos produtos em relação ao bagaço de cana-de-açúcar, por exemplo. 

Transforma Energia utilizará os produtos processados para erguer a estrutura que abrigará sua nova planta. Fonte: Divulgação/AI
Transforma Energia utilizará os produtos processados para erguer a estrutura que abrigará sua nova planta. Fonte: Divulgação/AI

Acerca desse tema, Felipe Barroso comentou que “O bagaço de cana tem 1,8 mil quilocalorias (kcal), ou seja, uma tonelada desse resíduo vai produzir esse volume de energia. Já uma tonelada do nosso produto gera 4.780 Kcal” e complementou afirmando: “Como o nosso material tem um poder calorífico maior do que o bagaço de cana, é possível transportar maior volume de energia mantendo o mesmo peso final de carga. Ou seja, reduz custo de frete, pois você põe mais energia em um mesmo caminhão para transportar”.

Assim, a expectativa é de que a empresa consiga crescer ainda mais no mercado brasileiro e levar essa nova forma de reaproveitamento dos resíduos para a produção de energia pelo país inteiro, dando mais um passo em direção a um futuro mais sustentável e ecológico.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.