Início Panasonic fecha parceria com Pontoon Clean Tech para construção de usina de energia solar fotovoltaica que irá realizar a produção para um abastecimento próprio

Panasonic fecha parceria com Pontoon Clean Tech para construção de usina de energia solar fotovoltaica que irá realizar a produção para um abastecimento próprio

março 25, 2022 às 8:34 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A nova usina de energia solar fotovoltaica da Panasonic com a Pontoon Clean Tech será responsável pelo abastecimento das operações da empresa com a produção de uma energia limpa e consciente 
A nova usina de energia solar fotovoltaica da Panasonic com a Pontoon Clean Tech será responsável pelo abastecimento das operações da empresa com a produção de uma energia limpa e consciente. Fonte: Pixabay

A nova usina de energia solar fotovoltaica da Panasonic com a Pontoon Clean Tech será responsável pelo abastecimento das operações da empresa com a produção de uma energia limpa e consciente 

Um acordo entre a Panasonic e a Pontoon Clean Tech foi divulgado durante esta última quarta-feira, (23/03), com foco na sustentabilidade e no compromisso ambiental para a empresa japonesa. Assim, a Clean Tech irá construir uma usina de energia solar fotovoltaica no Ceará, que será a responsável pela produção de energia renovável para o abastecimento das operações da companhia no território nacional durante os próximos 15 anos.

Notícias relacionadas:

Vídeo: Saiba quais são as cinco maiores usinas solares do Brasil

Conheça o top cinco das maiores usinas de energia solar fotovoltaica do Brasil. Fonte; YouTube

Ceará será palco de construção de nova usina de energia solar da Pontoon Clean Tech, que será a responsável pelo abastecimento da Panasonic pelos próximos 15 anos

O Ceará é um dos estados brasileiros com maior potencial para a geração de energias renováveis em todo o território nacional e vem sendo palco de grandes projetos voltados para esse segmento. Agora, a companhia japonesa Panasonic anunciou uma parceria com a Pontoon Clean Tech para a construção de uma usina de energia solar fotovoltaica no estado, com o objetivo de realizar uma alta produção para o abastecimento das operações da empresa em solo brasileiro pelos próximos anos. 

Assim, o projeto irá demandar um total de 1,6 bilhão de reais em investimentos e será capaz de atender 65% do consumo de eletricidade da fábrica da empresa japonesa em Extrema (MG), trazendo uma série de benefícios econômicos para a cadeia produtiva da companhia no país. A usina de energia solar fotovoltaica será integrada ao complexo de Intrepid, no município de Mauriti (CE), a partir do qual a empresa também fornecerá energia à BRF e contará com uma capacidade de 500 MW, o suficiente para o abastecimento da porcentagem prevista pela Pontoon Clean Tech. 

O contrato entre as empresas já foi assinado e o início das obras de construção da usina está previsto para o ano de 2024, com os investimentos de R$ 1,6 sendo aplicados para transformar esse em um dos maiores projetos de energia renovável no estado. Além disso, o prazo para a parceria entre as companhias está previsto para um total de 15 anos, garantindo assim um bom abastecimento das operações da Panasonic com uma energia totalmente renovável e limpa nos próximos anos. 

Panasonic e Pontoon Clean Tech comemoram assinatura de projeto da usina de energia solar fotovoltaica e destacam importância da iniciativa para o mercado nacional 

Com o crescimento do mercado das energias renováveis no Brasil, novas empresas estão de olho no segmento, uma vez que o rendimento econômico a longo prazo é bastante positivo para as companhias, já que os custos com energia elétrica serão minimizados com a produção a partir dessas fontes. Além disso, o debate acerca do compromisso ambiental vem fazendo com que novas companhias busquem soluções com mais sustentabilidade para a sua cadeia produtiva, como está acontecendo com o projeto da Panasonic com a Pontoon Clean Tech.

Assim, o vice-presidente de Appliances da empresa no Brasil, Sergei Epof, comentou sobre os benefícios da instalação de sistemas de energia solar fotovoltaica e afirmou que “O custo (com energia) é relevante, principalmente em Extrema. Temos visto aumentos anuais (do custo), e enxergamos que isso deve continuar com as mudanças climáticas, dependência de chuvas. Termos parcerias que abrem outras fontes (de energia) ajuda o país todo a não ter tanta dependência de termelétricas”.

Assim, a companhia Panasonic, que  já compensa 100% de toda a emissão de CO2 de suas atividades no Brasil, sai em busca de mais oportunidades de expandir a sustentabilidade dentro das suas operações e garante um ótimo projeto para a questão ambiental e, acima de tudo, econômica durante os próximos anos.

Relacionados
Mais recentes