Thursday, 29 de July de 2021

Subsidiária AES aumenta participação em energia hidrelétrica, eólica e solar no Brasil

AES - Energia renovável - emergia hidrelétrica

A AES Corp. aumentará significativamente sua participação em uma parceria brasileira de energia renovável, anunciou nesta quarta-feira (29) a empresa de geração de energia hidrelétrica, eólica e solar dos EUA

A subsidiária AES adquirirá uma participação em em energia hidrelétrica, eólica e solar adicional de 18,5% na AES Tietê. O preço estimado da transação com o BNDES Participações é de R$246 milhões. O financiamento é garantido principalmente por bancos brasileiros. A AES então será proprietária de quase 43% das ações da AES Tietê. A medida fortalece o portfólio renovável da empresa à medida que a AES avança em suas metas de descarbonização.

Leia também:

A AES planeja reduzir sua porção de carvão do mix de geração para 10% em mais 10 anos

Ela vendeu uma usina a carvão de Oklahoma para a OG&E no ano passado e no mês passado anunciou a venda de várias usinas a carvão na Índia.

A empresa aumentou seu mix de fontes renováveis ​​no ano passado com CAE eólica e solar nos EUA, Chile, Colômbia, México, República Dominicana, Panamá e Brasil. Também concluiu seus próprios projetos na Índia e no México.

A AES Corp. é proprietária e opera geração de energia em 14 países. Do lado convencional, está ajudando a desenvolver uma planta de turbina a gás de ciclo combinado no Vietnã e está trabalhando em projetos de gás natural liquefeito lá e na República Dominicana.

Planos para futuras instalações de energia renovável

A Tietê possui um portfólio de inúmeras usinas hidrelétricas, eólicas e solares, incluindo Nova Avanhandava, Mogi Guaçu e UFV Guaimbê. O mix da empresa brasileira de geração de energia consiste em 2,7 GW de energia hidrelétrica, 708 MW de vento e 310 MW de energia solar.

“Ao aumentar nossa participação na plataforma de renováveis ​​de 3,7 GW da AES Tietê, estamos reforçando nosso compromisso de reduzir nossa geração total de carvão para menos de 30%”, disse Andrés Gluski, Presidente e CEO da AES. “Após essa transação, planejamos mudar a listagem da AES Tietê para o Novo Mercado, o mais alto segmento de governança corporativa das empresas listadas na bolsa de valores brasileira, que deverá desbloquear ainda mais o valor da AES Tietê para o benefício de todos os acionistas.”

Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.