Sunday, 24 de October de 2021

Parceria entre Governo e Neoenergia irá introduzir transportes públicos movidos a hidrogênio verde no Ceará

Além da Neoenergia, o Governo do Ceará assinou outros contratos, que visam fazer do Estado, uma referência em hidrogênio verde e Energia Renovável

Além da companhia Neoenergia, o Governo do Ceará assinou outros contratos, que visam fazer do Estado, uma referência em hidrogênio verde

Nessa última segunda-feira, 20, o Ceará deu mais um passo para a geração de energia renovável no Estado. Na referida data, Camilo Santana, o governador do Estado, assinou um Memorando de Entendimento, que marca a parceria do Governo do Ceará com a Neoenergia, do Grupo espanhol Iberdola. Por ser um momento marcante para o estado, bem como, para a população, a assinatura foi realizada durante uma transmissão ao vivo, onde os cearenses pudessem acompanhar. O projeto em questão, visa que os transportes públicos, sejam movidos à hidrogênio verde.

Leia outras notícias do setor:

Como ocorrerá a implementação do hidrogênio verde nos projetos de Energia Renovável pela Neoenergia?

A princípio, a expectativa é fazer de Fortaleza, Capital do Estado, a primeira cidade brasileira a usar o hidrogênio verde em projeto de mobilidade urbana. Intitulado “Corredor Verde”, o projeto visa a utilização de ônibus fuel cell, para atender a população inicialmente, da Cidade. Para que esse meio de transporte tenha o suporte necessário, a meta será instalar 18 pontos de apoio, para que possam ser abastecidos com energia limpa.

Após um certo período de atividade do Corredor Verde em Fortaleza, outro objetivo almejado é expandir esse projeto para mais 70 cidades do Nordeste. Dessa forma, a previsão é que a ampliação englobe seis capitais nordestinas, onde será possível atender cerca de 66% da Região Nordeste. Contemplando um total de 37 milhões de pessoas, com essa fonte de energia renovável.

Acordo assinado entre o Governo do Ceará e a Neoenergia para desenvolver transporte público com Energia Renovável. Fonte: Ascom Casa Civil
Acordo assinado entre o Governo do Ceará e a Neoenergia para desenvolver transporte público com Energia Renovável. Fonte: Ascom Casa Civil

Para o governador Camilo Santana, “o hidrogênio verde é a energia do futuro, e esse projeto da Neoenergia é uma ideia pioneira, movida a hidrogênio verde, e faz parte da construção mundial das energias renováveis, e que faremos parte da descarbonização do planeta. É uma condição que não tem mais volta. Eles (Iberdrola) já estão construindo a sua usina de hidrogênio verde lá na Espanha, e por isso estamos assinando agora o memorando, muito felizes por essa iniciativa aqui no Ceará, e colocamos aqui toda a equipe do governo à disposição para poder construir esse projeto”.

Outros projetos de hidrogênio verde no Ceará

Com intuito de transformar o Estado em uma referência nacional no âmbito de energia renovável e limpa, o Governo do Ceará vem investindo cada vez mais em parcerias que desenvolvam projetos de hidrogênio verde. Além de uma parceria com a Neoenergia, a Universidade Federal do Ceará (UFC), o Complexo do Pecém (CIPP S/A) e a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), houveram mais quatro memorandos de cooperação. Onde as quatro companhias são: a Enegix, a White Martins, a Fortscue e a Quair.

A parceria com a Enegix prevê um investimento de U$ 5,4 bilhões de dólares, com o objetivo de mudar a vida da população local com o uso de hidrogênio verde em lugares públicos. E assim, os beneficiar com uma energia renovável e limpa. Já em relação a White Martins, o memorando foi assinado com o Complexo do Pecém, e visa uma parceria voltada para a produção local e futuramente, expandir os negócios para outros continentes.

Objetivo é implantar projeto de mobilidade urbana utilizando veículos para transporte público movidos à hidrogênio verde. Fonte: Ascom Casa Civil
Objetivo é implantar projeto de mobilidade urbana utilizando veículos para transporte público movidos à hidrogênio verde. Fonte: Ascom Casa Civil

Gerando mais de 2 mil vagas de emprego para os cearenses, a Fortescue Future Industries Pty Ltd (FFI) investirá U$ 6 bilhões em uma usina no Complexo do Pecém. A meta é que ela entre em operação até 2025, onde será gerado 800 vagas de emprego fixos. Em contrapartida, a Quair já está desenvolvendo a sua planta de hidrogênio verde, onde a energia necessária é proveniente de dois locais: Complexo Eólico Marítimo Dragão do Mar e de um parque de energia eólica offshore. O investimento será de US$ 6,95 bilhões. Conforme as plantas estiverem sendo construídas, serão destinadas 2 mil vagas de emprego e após a sua conclusão, mais 600 vagas de emprego serão mantidas de forma direta.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.