Saturday, 04 de December de 2021

Cooperativa Central dos Produtores Rurais (CCPR) irá inaugurar usina própria de energia solar

A CCPR, maior captadora de leite do país, vai inaugurar sua própria usina de energia solar e doará o excedente da produção, para hospital da região

A CCPR, maior captadora de leite do país, vai inaugurar a sua usina de energia solar própria, em Sete Lagoas (MG) e pretende doar o excedente da produção para hospital da região

A Cooperativa Central dos Produtores Rurais (CCPR) anunciou, nesta última quarta-feira, (03/11), que irá inaugurar, no início de 2022, sua usina própria de energia solar para o abastecimento da companhia de forma limpa e ecológica. A usina se localizará na região em Sete Lagoas e o excedente da produção energética será doado para um hospital local.

Veja outras notícias do setor:

Usina será suficiente para abastecer a empresa e excedente irá para hospital da região 

A maior captadora de leite do Brasil, Cooperativa Central dos Produtores Rurais (CCPR), com cerca de 3 milhões de litros por dia, irá inaugurar em janeiro de 2022, a sua própria usina de energia solar para o abastecimento dos postos da companhia, de forma limpa e renovável. A usina irá contar com com área total de 25 mil m², 4.089 placas fotovoltaicas e teve um investimento de R$ 8 milhões para que fosse construída na fazenda Sete Lagoas, em Minas Gerais. 

Marcelo Candiotto, presidente da CCPR, comentou acerca da criação da usina para a companhia e sobre a doação de excedente que irá para um hospital da região. O executivo afirmou que “além de investir em uma energia limpa e renovável e contribuir com a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) na geração de uma energia mais barata, vamos doar uma parte para a Santa Casa de Belo Horizonte, que corresponde a 10% do consumo mensal estimado de R$ 100 mil da entidade filantrópica”.

A produção da usina de energia solar da CCPR é prevista para  uma capacidade de 1 MW/h (megawatt hora), o que é mais que suficiente para abastecer a companhia, junto de suas 17 lojas do setor, os 7 postos de refrigeração de leite e o Escritório Central, localizado em Belo Horizonte. Além disso, a produção poderá exceder o necessário para as instalações da CCPR e o restante será doado para um hospital da região.

Crise hídrica do Brasil acelerou a necessidade de investimentos para a construção da usina de energia solar

Um dos principais fatores que levaram a CCPR a investir em uma geração mais limpa de energia através da construção da usina de energia solar na região é a crise hídrica que assola o Brasil atualmente. A necessidade de fontes alternativas para a produção energética não só fez com que a companhia criasse a usina de Sete Lagoas, mas começasse a investir em uma outra unidade, que será localizada em Curvelo (MG) e tem previsão de entrega para até 14 meses. 

A segunda usina de energia solar construída pela fábrica deverá gerar 3 MW/h, o que será suficiente para abastecer 100% da fábrica localizada na região. Para a construção, foram investidos cerca de R$ 150 milhões e 5000 empregos vão ser gerados para os moradores locais, de forma direta e indireta. Candiotto comentou acerca da importância dessa geração para a produção de ração na região e afirmou que “seremos a maior indústria de ração do país, com a produção de 70 mil toneladas por mês”.

A iniciativa da CCPR com a construção dessas duas usinas de energia solar marca mais um passo dado pela companhia para um futuro mais limpo e ecológico, com alternativas energéticas que causem menos impactos ao meio ambiente. Agora, a empresa aguarda apenas a entrega da obra para começar a usufruir dos benefícios.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.